estenotipia

A estenotipia, técnica de digitação que vem ganhando mercado no País, já utilizado nos Estados Unidos e Europa há mais de 30 anos, está tomando o lugar da digitação e da taquigrafia em vários ambientes de trabalho. A função do estenotipista consiste em registrar depoimentos, audiências, debates, palestras ou mesmo uma simples conversa, transformando o falado em escrito na mesma velocidade, simultaneamente. Para isso utiliza-se do estenótipo, um teclado especial com 24 teclas. Diferentemente da digitação, em que se pressiona uma tecla por vez, na estenotipia há a junção de várias teclas pressionadas ao mesmo tempo para formar uma palavra, oferecendo, assim, uma infinidade de combinações.

Estenotipia

Conectado a um computador, com o auxílio de um software de transcrição, o estenótipo traduz para a Língua Portuguesa todos os códigos, abreviaturas e contrações que são digitadas. No software há um dicionário para que possam ser acrescentadas novas palavras com o objetivo de abastecer o banco de dados e melhorar o desempenho. Um digitador experiente pode registrar 65 palavras por minuto em um computador, enquanto um estenotipista iniciante alcança 120 palavras em média. Um taquígrafo suporta, no máximo, 10 minutos de apanhamento devido aos inúmeros movimentos manuais. Já, um estenotipista pode fazê-lo por até três horas ininterruptas.


O estenotipista pode trabalhar nas mais diversas áreas: jurídica, legislativa, médica, executiva, administrativa, educacional e de comunicação. Para tanto, há necessidade de conhecimentos profundos na Língua Portuguesa, conhecimentos de informática e, principalmente, dedicar-se constantemente nas atualizações e treinamento constante.